Períodos de exposição e diferentes concentrações de GA3 na germinação de sementes de Corymbia citriodora Hill & Johnson (Myrtaceae)

Thiago Souza-Leal, Isa Mara da Silva, Gisela de Assis Martine, Henderson Pessa, Cristiano Pedroso-de-Moraes

Resumo


Avaliou-se a germinação de Corymbia citriodora, em cinco períodos de exposição, sob diferentes concentrações GA3 . Os tratamentos foram: água destilada e GA3 a 5, 10 e 20 mg L-1, adicionados a quatro lotes de 100 sementes cada. A embebição foi realizada nos períodos de 30, 60, 120 e 180 mim. Os dados obtidos foram utilizados para o cálculo da Germinabilidade (G%), Índice de Velocidade de Germinação (IVG) e Tempo Médio de Germinação (TM). A análise dos resultados demonstra que em relação à G%, as melhores médias foram obtidas para a interação ocorrente pela exposição das sementes por 30 minutos à concentração de 20 mg L-1 GA3 . Com relação ao IVG, a melhor interação ocorreu entre a concentração de 5 mg L-1 GA3 em 120 minutos de exposição. Para o TM, a melhor interação foi a ocorrente entre a concentração de 5 mg L-1 GA3 em 30 minutos de exposição.

Palavras-chave


eucalipto, regulador vegetal, produção vegetal

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAF. 2012. Anuário estatístico da ABRAF ano base 2011. Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas, Brasília. 150p.

Alfenas, A.C., Zauza, E.A.V., Mafia, R.G. & Assis, T.F. 2004. Clonagem e doenças do eucalipto. Editora Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 235p.

Alves, M.C.S., Medeiros-Filho, S., Andradeneto, M. & Teófilo, E.M. 2000. Superação da dormência em sementes de Bauhinia monandra Britt. e Bauhinia ungulata L. – Caesalpinoideae. Revista Brasileira de Sementes 22(2): 139-144.

Batista, R.O., Sapatini, J.R., Curiel, A.C., Souza-Leal, T., Bertin, R.L. & Pedroso-de-Moraes, C. 2012. Morfometria carposeminal e germinação de Tabebuia impetiginosa (Mart.) Standl. pré-embebida em diferentes períodos de exposição e concentrações de GA3. Iheringia, Série Botânica 67(2): 237-243.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 2009. Regras para análise de sementes. Secretaria de Defesa Agropecuária, Brasília. 395p.

Castro, E.M., Alvarenga, A.A., Gavilanes, M.L., Almeida, L.P. & Pereira, P.A. 1999. Influência do ácido giberélico e do nitrato de potássio na germinação de Guarea guidonia (L.) Sleum. Revista Árvore 23(2): 255-258.

Curiel, A.C. & Moraes, C.P. 2011. Germinação de Ormosia arborea (Vell.) Harms submetida a diferentes períodos de exposição e concentração de GA3 pós escarificação mecânica. Scientia Plena 7(1): 1-6.

Fernandes, M.R., Barbosa, M.P., Souza-Leal, T. & Pedroso-de-Moraes, C. 2012. Morfobiometria carpo seminal e germinação de Lafoensia pacari A. St. Hil. (Lythraceae) exposta a diferentes concentrações de GA3. Semina: Ciências Agrárias 33(S1): 2571-2584.

Labouriau, L.G. & Agudo, M. 1987. On the physiology of seed germination in Salvia hispanica L. I. temperature effects. Anais da Academia Brasileira de Ciências 59(3): 37-56.

Litton, C.M., Raich, J.W. & Ryan, M.G. 2007. Carbon allocation in forest ecosystems (review article). Global Chance Biology 13(2):2089-2109.

Ni, B.R. & Bradford, K.J. 1993. Germination and dormancy of abscisic acid and gibberellin – deficient mutant tomato (Lycopersicum esculentum) seeds. Plant Physiology 101(2): 607–617.

Novembre, A.D.L.C., Faria, T.C., Pinto, D.H.V. & Chamma, H.M.C.P. 2007. Teste de germinação de sementes de sansão-do-campo (Mimosa caesalpiniaefolia Benth. – Fabaceae-Mimosoideae). Revista Brasileira de Sementes 29(3): 47-51.

Raven, P.H., Evert, R.F. & Eichhorn, S.E. 2007. Biologia Vegetal. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 521p.

Schuurink, R.C.; Sedee, N.J.A. & Wang, M. 1992. Dormancy of the barley grain is correlated with gibberellic acid responsiveness of the isolated aleurone layer. Plant Physiology, 100(4): 1834-1839.

Silva, H.D. 1997. O Eucalyptus na silvicultura brasileira e no mundo. Folha da Floresta. Edição especial. Universidade Federal do Paraná, Colombo. 13p.

Verdolin-Benedito, P., Curiel, A.L. & Pedroso-de-Moraes, C. 2012. Influência do período de pré-embebição e de diferentes concentrações de ácido giberélico na germinação e crescimento de Mimosa caesalpiniaefolia Benth. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente 5(3): 593-604.

Ynoue, C.K., Ono, E.O. & Marchi, L.O.S. 1999. Efeito do GA3 na germinação de sementes de Kiwi (Actinidia chinensis Planch.). Scientia Agricola 56(1): 9-12.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2446-8231

Indexadores: Aquatic Sciences and Fisheries Abstract (ASFA) | Biological Abstract | Biosis Previews | Google Acadêmico | Latindex | Qualis-CAPES | Scopus | Web of Science – Institute for Scientific Information (ISI)