Germinação e aclimatização de Melocactus sergipensis Taylor & Meiado

Eronides Soares Bravo Filho, Marlucia Cruz de Santana, Paulo Augusto Almeida Santos, Adauto de Souza Ribeiro

Resumo


Melocactus sergipensis é endêmica de Sergipe, no nordeste do Brasil, com população estimada em 100 indivíduos adultos. O presente estudo avaliou o efeito da embebição na germinação in vitro e ex vitro de sementes de M. sergipensis e a influência de diferentes substratos na aclimatização. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, e dados foram avaliados por meio de Análise de Variância com teste de Tukey, considerando-se um nível de significância de 5%. A imersão das sementes por 6 horas em 2 mg L-1 de GA3 incrementou significativamente a germinação in vitro, de 10% para 38%, embora nenhuma variação significativa tenha sido encontrada nas taxas de germinação entre os diferentes substratos. A aclimatização ocorreu em todos os substratos, com uma taxa de sobrevida superior a 88%.

Palavras-chave


cabeça-de-frade, condição ex situ, conservação, estabelecimento in vitro.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2446-8231

Indexadores: Aquatic Sciences and Fisheries Abstract (ASFA) | Biological Abstract | Biosis Previews | Google Acadêmico | Latindex | Qualis-CAPES | Scopus | Web of Science – Institute for Scientific Information (ISI)