Os grupos funcionais fitoplanctônicos nos reservatórios do Sistema Cantareira, São Paulo, Brasil

Larissa Gonçalves Santos, Leila dos Santos Machado, Viviane Moschichi Carlos, Marcelo Pompeo

Resumo


Este estudo objetivou verificar se a comunidade fitoplanctônica responde às diferentes trofias nos reservatórios do Sistema Cantareira, baseando-se na distribuição dos grupos funcionais fitoplanctônicos (GFF). As amostragens foram realizadas nos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira, Atibainha e Paiva Castro, nos períodos de maio/junho e novembro/dezembro de 2013. Em geral, a maioria dos reservatórios apresentou condições mesotróficas, sendo o Jaguari, o que apresentou maior trofia, supereutrófico. Nós encontramos variação espaço-sazonal da trofia do reservatório a montante, com registros de elevada biomassa do GFF Lo na primeira amostragem e na segunda amostragem elevada biomassa de cianobactérias filamentosas do GFF Sn, comprovando a existência de correspondência entre descritores ambientais e a variação da biomassa dos GFF. A classificação trófica destes ambientes baseada em GFF foi eficaz, pois a ocorrência dos GFF tolerantes ou sensíveis foi compatível com as características ambientais observadas.


Palavras-chave


Bioindicadores, biomassa, distribuição espacial, eutrofização

Texto completo:

PDF

Referências


Anagnostidis, K. & Komárek J. 1988. Modern approach to the classification

system of Cyanobacteria. 3- Oscillatoriales. Archiv für Hydrobiologie.

Supplement Algological Studies. 80(1-4):327-472.

_______. 1990. Modern approach to the classification system of

Cyanobacteria. 5-Stigonematales. Archiv für Hydrobiologie.

Supplement Algological Studies 59(1):73.

Barros, P.P.S. 2012. Análise de diferentes cenários para adequação

ambiental da Microbacia Hidrográfica do Ceveiro. Dissertação 126

f., Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade

de São Paulo, Piracicaba, São Paulo.

Becker, V., Caputo, L., Ordóñez, J., Marcé, R., Armengol, J., Crossetti,

L.O. & Huszar V.L.M. 2010. Driving factors of the phytoplankton

functional groups in a deep Mediterranean reservoir. Water Research

(11):3345–3354. https://doi.org/10.1016/j.watres.2010.03.018

Bicudo, C. E. M. & Menezes, M. 2006. Gêneros de algas de águas

continentais do Brasil: Chave para identificação e descrições. Editora

Rima, São Paulo. 502 p.

Brasil, J. & Huszar, V.L.M. 2011. O papel dos traços funcionais na

ecologia do fitoplâncton continental. Oecologia Australis 15(4):799-

http://dx.doi.org/10.4257/oeco.2011.1504.04

Buzelli, G.M. & Cunha-Santino, M.B. 2013. Análise e diagnóstico da

qualidade da água e estado trófico do reservatório de Barra Bonita

(SP). Revista Ambiente & Água 8(1):186-205. http://dx.doi.

org/10.4136/ambi-agua.930

Cardoso-Silva, S., Nishimura, P.Y., Padial, P.R., Mariani, C.F., Moschini-

Carlos & Pompêo, V.M.L.M. 2014. Compartimentalização e qualidade

da água: o caso da Represa Billings. Revista Bioikos 28(1):31-43.

Disponível em:

php/bioikos/article/view/2522/1864> Acessado em 15.03.2017.

Carlson, R.E. 1977. A trophic state index for lakes. Association for the

Sciences of Limnology and Oceanography 22(2): 361-369. https://

doi.org/10.4319/lo.1977.22.2.0361

Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP.

Mananciais da região metropolitana de São Paulo – O Sistema

Cantareira. Disponível em: http://www.mananciais.org.br/site/

mananciais_rmsp/cantareira Acessado em: 03.04.2016.

Cunha, D.G.F. & Calijuri, M.C. 2011. Variação sazonal dos grupos

funcionais fitoplanctônicos em braços de um reservatório tropical de

usos múltiplos no estado de São Paulo (Brasil). Acta botânica brasílica

(4):822-831. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33062011000400009

De-Carli, B.P., Lopez-Dorval, J.C., Rodrigues, E.H.C. & Pômpeo, M.L.M.

Variação espacial e sazonal do zooplâncton nos reservatórios

do Sistema Cantareira, Brasil. Revista Ambiente & Água 12(4):666-

http://dx.doi.org/10.4136/ambi-agua.1935

Giatti, L.L. 2000. Reservatório Paiva Castro - Mairiporã- SP: avaliação

da qualidade da água sobre alguns parâmetros físicos, químicos e

biológicos (1987-1998). Dissertação 87 p., Faculdade de Saúde

Pública da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Hammer, Ø., Harper, D.A.T. & Ryan, P.D. 2001. PAST: paleontological

statistics software package for education and data analysis.

Palaeontologia Electronica. 4(1):9. Disponível em: < https://

palaeo-electronica.org/2001_1/past/issue1_01.htm > Acessado em

09.2016.

Henry, R., Nunes, M.A., Mitsuka, P.M., Lima, N. & Casanova, S.M.C.

Variação espacial e temporal da produtividade primária pelo

fitoplâncton na represa de Jurumirim (rio Paranapanema, SP). Revista

Brasileira de Biologia 58(4):571-590. http://dx.doi.org/10.1590/

S0034-71081998000400005

Hillebrand, H., Durselen, C.D., Kirscheterl, D., Pollingher, U. & Zohary,

T. 1999. Biovolume calculation for pelagic and benthic microalgae.

Journal of Phycology 35(2):403-424. https://doi.org/10.1046/j.1529-

1999.3520403.x

Instituto da Água - INAG IP. 2009. Manual para a avaliação da qualidade

biológica da água. Protocolo de amostragem e análise para o

Fitoplâncton Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território

e do Desenvolvimento Regional. Instituto da Água I.P., Lisboa, 67 p.

Komárek, J. & Anagnostidis, K. 1986. Modern approach to the

classification system of Cyanophytes, 2: Chroococcales. Archiv

für Hydrobiologie / Algological Studies (43):157-226.

_______. 2005. Cyanoprokayota 2 Teil: Oscillatoriales. In: Bridel, B.,

Gaster, G., Krienitz, L. & Schargerl, M. (Eds.). Subwasserflora von

Mitteleuropa. Müncher: Elsevier. 759 p.

Koroleff, F. 1976. Determination of nutrients. In Methods of sea water

analysis (K. (Grasshoff, ed.) Verlag Chemie Weinheim, New York,

-181 p.

Krammer, K. & Lange-Bertalot H. 1986. Bacillariophyceae. 1. Teil:

Naviculaceae. In Süßwasserflora von Mitteleuropa (H. Ettl et al.,

eds). Gustav Fisher Verlag, Stuttgart, 2(1):876.

Lamparelli, M.C. 2004. Grau de trofia em corpos d’água do estado de

São Paulo: Avaliação dos métodos de monitoramento. Tese 238 f.,

Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Lorenzen, C.J. 1967. Determination of chlorophyll and pheo-pigments:

Spectrophotometric equations. Association for the Sciences of

Limnology and Oceanography 12(2):343-346. http://dx.doi.

org/10.4319/lo.1967.12.2.0343

L u n d , J . W. G . , K i p l i n g , C . & L e c r e n , E . O .

The inverted microscope method of

estimating algal number sand the statistical basis of estimations by

counting. Hydrobiologia 11(2):143-170.

Mackereth, F.J.H., Heron, J. & Talling, J.F. 1978. Water analysis: Some

revised methods for limnologists. Freshwater Biological Association

Scientific Publication. Titus Wilson & Son Ltd, Kendall., (36):120.

Miranda, C.S, Alexandre, G.S. & Negreiros, N.F. 2013. Caracterização

da comunidade fitoplanctônica do reservatório de abastecimento

público e estação de tratamento de água no município de Guararapes-

SP, Brasil. Periódico eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista

(11):418-430. http://dx.doi.org/10.17271/198008279112013687

Moraes, J.M., Pellegrino, G.Q., Ballester, M.V., Martinelli, L.A., Victoria,

R.L. & Krusche, A.V. 1998. Trends in Hydrological Parameters of

a Southern Brazilian Watershed and its Relation to Human Induced

Changes. Water Resources Management 12(4):295–311.

Nascimento, M.N. 2012. Biodiversidade e distribuição das diatomáceas

planctônicas e de sedimento superficial em represa profunda

oligotrófica (Sistema Cantareira, Represa Jaguari-Jacareí). São Paulo.

Dissertação 151 p., Instituto de Botânica da Secretaria de Estado do

Meio Ambiente, São Paulo.

Navarro, E., Bacardit, M., Caputo, L., Palau, T. & Armengol, J., 2006.

Limnological characterization and flow patterns of a three-coupled

reservoir system and their influence on Dreissena polymorpha

populations and settlement during the stratification period.

Lake and Reservoir Management 22(4):293–302. https://doi.

org/10.1080/07438140609354363

Nishimura, P.Y. 2008. Ecologia da comunidade fitoplactônica em dois

braços da Represa Billings (São Paulo, SP) com diferentes graus de

trofia. Dissertação 148 p., Instituto de Biociência, Universidade de

São Paulo, São Paulo.

Nishimura, P.Y., Moschini-Carlos, V. & Pompêo, M. 2015. O estudo

fitoplâncton com base nos grupos funcionais: origens e um vislumbre

sobre seu futuro. In (Marcelo Pompêo Org.). Grupos funcionais

do fitoplâncton. Ecologia de reservatórios e interfaces. São Paulo:

Universidade de São Paulo, v. 1, part. 1, p. 120-130.

Oliveira, P.E., Gomes, A.R., Sanches, R.C. & Saad, A.R. 2008. Análise

da evolução da paisagem no entorno da represa dos rios Jaguari e

Jacareí, Estado de São Paulo, com base em sensoriamento remoto

e SIG. Revista Geociência 27(4):527-539.

Otomo, J.I., Cardoso-Silva, S., Santos, W.D.S., Jardim, E.A. M. &

Pômpeo, M. 2015. Avaliação de políticas para preservação e

recuperação de mananciais de abastecimento público da Região

Metropolitana de São Paulo. In. Avaliação de política pública

em áreas de mananciais. Ecologia de reservatórios e interfaces.

(Marcelo Pompêo Org.). Universidade de São Paulo, São Paulo,

v. 1, part. 1, p. 376-395.

Padisák, J., Crossetti, L.O. & Naselli-Flores, L. 2009. Use and misuse in

the application of the phytoplankton functional classification: a critical

review with updates. Hydrobiologia 621(1):1-19. https://10.1007/

s10750-008-9645-0

Pinto-Coelho, R.M., Coelho, M.M., Espírito-Santo, M.M. & Cornelissen,

T.G. 1999. Efeitos da eutrofização na estrutura da comunidade

planctônica na lagoa da Pampulha. In: Henry, R. ed. Ecologia de

reservatórios: estrutura, função e aspectos sociais. (R. Henry, ed.),

Fundação do Instituto de Biociências, Botucatu, p. 551-572.

Pompêo, M., Moschini-Carlos, V., López-Doval, J.C., Abdalla-Martins,

N., Cardoso-Silva, S., Freire, R.H.F, Beghelli, F.G.S, Brandimarte,

A.L., Rosa, A.H. & López, P. 2017. Nitrogen and phosphorus in

cascade multi-system tropical reservoirs: water and sediment.

Limnological Review 17(3):133–150. https://doi.org/10.1515/

limre-2017-0013

Reynolds, C., Huszar, V.L.M., Kruk, C., Naselli-Flores, L. & Melo,

S. 2002. Towards a functional classification of the freshwater

phytoplankton. Journal of Plankton Research 24(5):417-428. https://

doi.org/10.1093/plankt/24.5.417

Round, F.E. 1965. The Biology of the Algae. London: Edward Arnold

(Publishers); Ltd. Journal of the Marine Biological Association of the

United Kingdom, v. 45, 269 p. https//:10.1017/S0025315400016672

_______. 1971. The Taxonomy of the Chlorophyta, II. British Phycological

Journal 6(2):235-264.

Santos, R.M. 2014. Estruturas das comunidades fito e zooplanctônicas

do Reservatório Guarapiranga (São Paulo) e relações com a

hidrodinâmica e a eutrofização. Tese 239f., Universidade de São

Carlos, São Carlos-SP.

erafim-Júnior, M., Perbiche-Neves, G., Brito, L., Ghidini, A.R. &

Casanova, S.M.C. 2010. Variação espaço-temporal de rotífera

em um reservatório eutrofizado no sul do Brasil. Iheringia

Série Zoologia 100(3):233-241. https://doi.org/10.1590/S0073-

Silva, C.A., Train, S. & Rodrigues, C.L. 2005. Phytoplankton assemblages

in a Brazilian subtropical cascading reservoir system. Hydrobiologia

(1-3):99–109. https://doi.org/10.1007/s10750-004-2552-0

Sun, J. & Liu, D. 2003. Geometric models for calculating cell biovolume

and surface area for phytoplankton. Journal of Plankton Research

(11):1331-1346. https://doi.org/10.1093/plankt/fbg096

Tavares, T.R., Martello, P.R.F.M., Monteiro, D. & Strabeli, T.F. 2015.

Uso de geotecnologias para monitoramento da vegetação florestal

nativa em períodos de seca no município de Piracicaba-SP. In

Anais do XLIV Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola,

São Pedro, São Paulo,

Ter Braak, C.J.F. 1986. Canonical Correspondence Analysis: A new

eigenvector technique for multivariate analysis. Ecology, v. 67,

-1179 p. http://dx.doi.org/10.2307/1938672

Torgan, L.C. 1997. Estrutura e dinâmica da comunidade fitoplanctônica

na laguna dos Patos, Rio Grande do Sul, Brasil, em um ciclo anual.

Tese 284 f., Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Torgan, L.C., Becker, V. & Prates, H.M. 1999. Checklist das diatomáceas

(Bacillariophyceae) de ambientes de águas continentais e costeiros do

estado do Rio Grande do Sul. Iheringia. Série Botânica 52:89-144.

Uehlinger, V. 1964. Étude statistique des méthodes de dénombremente

planctonique. Archives des Sciences Physiques et Naturelles

(2):121-223.

Utermohl, H. 1958. Zur Vervollkommnung der quantitativen

phytoplankton-methodik. Mitteilungen Internationalen Vereinigung

für theoretische und angewandte Limnologie 19:1-38.

Valderrama, J.C. 1981. The simultaneous analysis of total nitrogen and

phosphorus in natural waters. Marine Chemistry 10(2):109-122.

https://doi.org/10.1016/0304-4203(81)90027-X

Wetzel, R.G. & Likens, G.E. 1991. Limnological Analyses. Springer-

Verlag, New York. 391 p.

Whately, M. & Cunha, P. 2007. Cantareira 2006: um olhar sobre o maior

manancial de água da Região Metropolitana de São Paulo (Ong.

Instituto Socioambiental). São Paulo. 68 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Caros pesquisadores,

A revista Iheringa, Série Botânica está aberta à submissão de manuscritos. No entanto, alertamos que a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul encontra-se sob ameaça de extinção pelo PL n° 246/16 encaminhado e aprovado na Assembleia Legislativa, o que poderá comprometer a publicação dos artigos.

Atenciosamente,

Corpo Editorial.

 

Dear Researchers,

The magazine Iheringia, Série Botânica is open to submit manuscript. However, we warn that the Zoobotanical Foundation of Rio Grande do Sul is under threat of extinction by PL no. 246/16 sent and approved in the Legislative Assembly, we were obliged to temporarily interrupt the receipt of manuscripts to the Journal.

Yours sincerely,

Editorial Board.


ISSN: 2446-8231

Indexadores: Aquatic Sciences and Fisheries Abstract (ASFA) | Biological Abstract | Biosis Previews | Google Acadêmico | Latindex | Qualis-CAPES | Scopus | Web of Science – Institute for Scientific Information (ISI)