Influência da luminosidade nos aspectos morfoanatômicos e fisiológicos de folhas de Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaeae) implantadas em duas áreas com diferentes graus de sucessão, nas margens do Reservatório Iraí, Paraná, Brasil

Larissa De B. Chiamolera Sabbi, Alessandro Camargo Ângelo, Maria Regina Boeger

Resumo


O objetivo deste trabalho foi verifi car a infl uência da luminosidade na estrutura das folhas de Schinus terebinthifolius Raddi implantadas em duas áreas com diferentes graus de sucessão (área aberta e capoeira) nas margens do Reservatório Iraí, Paraná. Foram avaliados aspectos morfológicos (área foliar, peso seco, área foliar específi ca, densidade estomática), anatômicos (espessuras de cutícula, epiderme adaxial, parênquima paliçádico, parênquima lacunoso, epiderme adaxial e espessura total), fi siológicos (taxa de fotossíntese, condutância estomática, transpiração) e de desenvolvimento (altura, diâmetro e taxa de sobrevivência) até os 18 meses. Os indivíduos de S. terebinthifolius da área de capoeira apresentaram área foliar, área foliar específi ca e altura signifi cativamente maiores. A espessura da cutícula, do parênquima paliçádico e espessura total do limbo foram signifi cativamente maiores para os indivíduos da área aberta. A taxa de sobrevivência foi satisfatória em ambas as áreas, porém foi ligeiramente maior na área de capoeira. Os resultados demonstram a capacidade adaptativa desta espécie diante de diferentes condições de luminosidade.


Palavras-chave


aroeira, morfoanatomia foliar, luz

Texto completo:

PDF

Referências


Ecophysiological and morphological responses to shade and drought in two contrasting ecotypes of Prunus serotina. Tree Physiology, v. 10, p. 343-355.

ALMEIDA, D. S. 2000. Recuperação ambiental da mata atlântica. Ilhéus: Editus. 130p.

ALTMANN, A. 2007. A compensação fi nanceira pela preservação e recuperação da mata ciliar. In: BENJAMIM, A. H., LECEY, E.; CAPPELLI, S. (Eds.) Meio Ambiente e acesso à Justiça: Flora, Reserva Legal e APP. São Paulo: Imprensa Ofi cial do Estado. p. 41-54.

ARAKI, D. F. 2005. Avaliação da semeadura a lanço de espécies fl orestais nativas para recuperação de áreas degradadas. 150f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Agroecossistemas), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba.

ASSIS, F. N.; ARRUDA, H. V.; PEREIRA, A. R. 1996. Aplicações de estatística à climatologia: teoria e prática. Pelotas: Editora Universitária. 161p.

ASTHON, P. M. S.; BERLYN, G. P. 1992. Leaf adaptations of some Shorea species to sun and shade. New Phytologyst, v. 121, p. 587-596.

BARRIOS, E. P.; HERNÁNDEZ, B. C. R. 2003. Phenology, growth and response to light of ciruela mexicana (Spondias purpurea L., Anacardiaceae). Economy Botany, v. 57, n. 4, p. 481-49.

BAZZAZ, F. A.; CARLSON, R. W. 1982. Photosynthetic acclimation to variability in the light environment of early and late sucessional plants. Oecologia, v. 54, n. 3, p. 313-316.

BOEGER, M. R. T; WISNIEWSKI, C. 2003. Comparação da morfologia foliar de espécies arbóreas de três estádios sucessionais distintos de Floresta Ombrófi la Densa (Floresta Atlântica) no sul do Brasil. Revista Brasileira de Botânica, v. 26, n. 1, p. 61-72.

BOEGER, M. R. T.; POULSON, M. 2006. Efeitos da radiação ultravioleta-B sobre a morfologia foliar de Arabidopsis thaliana (L.) Heynh. (Brassicaceae). Acta Botanica Brasilica, v. 20, n. 2, p. 329-338.

BOEGER, M. R. T.; KAEHLER, M.; MELO JUNIOR, J. C. F.; GOMES, M. Z.; OLIVEIRA, L. S.; CHAVES, C. R. M.; SCHOTTZ, E. S. 2006. Estrutura foliar de seis espécies do subosque de um remanescente de Floresta Ombrófi la Mista. Hoehnea, v. 33, n. 4, p. 521-531.

BONGERS, F.; POPMA, J. 1990. Leaf characteristics of the tropical rain forest fl ora of Los Tuxtlas, Mexico. Botanical Gazette, v. 151, p. 354-365.

CAMPOS, M. A. A.; UCHIDA, T. 2002. Influência do sombreamento no crescimento de mudas de três espécies amazônicas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, n. 3, p.281-288.

CANCIAN, M. A. E.; CORDEIRO, L. 1998. Efeito do sombreamento no crescimento inicial de Lonchocarpus muehlbergianus Hassl. Acta Botanica Brasilica, v.12, p. 367-373.

CARPANEZZI, A. A. 2005. Fundamentos para a reabilitação de ecossistemas fl orestais. In: GALVÃO, A. P. M.; SILVA, V. P. (Ed.). Restauração fl orestal: fundamentos e estudos de caso. Colombo: Embrapa Florestas, p. 27-45.

CARVALHO, P. E. 2003. Espécies arbóreas brasileiras. Colombo: EMBRAPA. 640p.

CASTRO, A. H. F.; ALVARENGA, A. S. 2002. Influência do fotoperíodo no crescimento inicial de plantas de confrei (Symphytum offi cinale L.). Ciência e Agrotecnologia, v. 26, n. 1, p.77-89.

CASTRO, E. M.; PINTO, J. E. B. P.; ALVARENGA, A. A.; LIMA JÚNIOR, E. C.; BERTOLUCCI, S. K. V.; SILVA FILHO, J. L.; VIEIRA, C. V. 2003. Crescimento e anatomia foliar de plantas jovens de Mikania glomerata

Sprengel (Guaco) submetidas a diferentes fotoperíodos. Ciência e Agrotecnologia, v. 6, p. 1293-1300.

CHIAMOLERA, L. B.; ANGELO, A. C. 2007. Resposta de espécies nativas em áreas com diferentes graus de sucessão, Reservatório Iraí-PR. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, p. 132-134.

CORRÊA, I. J. 2003. Plasticidade fenotípica em indivíduos jovens de Aloysia virgata (Ruiz et Pav.) A. L. Juss – Verbenaceae. 56f. Dissertação (Mestrado em Ecologia). Universidade Federal de São Carlos, São

Carlos.

CURCIO, G. R.; SOUSA, L. P.; BONNET, A.; BARDDAL, M. L. 2007. Recomendação de espécies arbóreas nativas, por tipo de solo, para recuperação ambiental das margens do Rio Iraí, Pinhais, PR. Revista Floresta, v. 37, n. 1, p. 113-122.

DALE, J. E. 1988. The control of leaf expansion. Annual Review of Plant Physiology, v. 39, p. 267-295.

DEGÁSPARI, C. H.; WASZCZYNSKYJ, N.; SANTOS, R. J. 2004. Atividade antioxidante de extrato de fruto aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi). Visão Acadêmica, v. 5, n. 2, p. 83-90.

DEMUNER, V. G.; HEBLING, S. A.; DAGUSTINHO, D. M. 2004. Efeito do sombreamento no crescimento inicial de Gallesia integrifolia (Spreng.) Harms. Boletim do Museu de Biologia Mello Leitão, v. 17, p. 45-55.

DIAS, J. 2005. Aspectos morfoanatômicos e fisiológicos de folhas de sol e de sombra de Lithraea molleoides (Vell.) Engl. (Anacardiaceae). Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas). Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

DIAS, J.; PIMENTA, J. A.; MEDRI, M. E.; BOEGER, M. R. T; FREITAS, C. T. 2007. Physiological aspects of sun and shade leaves of Lithraea molleoides (Vell.) Engl. (Anacardiaceae). Brazilian Archives of Biology and

Technology, v. 50, n. 1, p. 91-99.

DICKISON, W. C. 2000. Integrative plant anatomy. San Diego: Horcant Academy Press.

DUARTE, M. R., TOLEDO, M. G.; OLIVEIRA, R. B. 2006. Diagnose morfoanatômica de aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi, nacardiaceae). Visão Acadêmica, v. 7, n. 2, p. 5-13.

DUZ, S. R.; SIMINSKI, A.; SANTOS, M; PAULILO, M. T. 2004. Crescimento inicial de três espécies arbóreas da Floresta Atlântica em resposta à variação na quantidade de luz. Revista Brasileira de Botânica, v. 27, n. 3, p. 587-596.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. 1999. Sistema Brasileiro de Classifi cação de Solos. Rio de Janeiro: Embrapa Solos. 412 p.

ESPINDOLA JUNIOR, A. 2006. Morfologia e anatomia foliar de duas espécies medicinais (Mikania glomerata Spreng. – Asteraceae e Bauhinia forfi cata Link. - Leguminosae) associadas à erva mate, sob diferentes

condições de luminosidade. 82f. Dissertação (Mestrado em Botânica), Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

EVANS, J. R. 1999. Leaf anatomy enables more equal access to light and CO2 between chloroplasts. New Phytologist, v.143, p. 93-104.

FERMINO JR., P. C. P.; PAULILO, M. T. S.; REIS, A.; SANTOS, M. 2004. Espécies pioneiras e climácicas da Floresta Ombrófi la Densa: anatomia foliar comparada. Insula, v. 33, p. 21-37.

FRANCO, A. M. S.; DILLENBURG, L. R. 2007. Ajustes morfológicos e fi siológicos em plantas jovens de Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze em resposta ao sombreamento. Hoehnea, v. 34, n. 2, p. 135-144.

GIVNISH, T. J. 1988. Adaptation to sun and shade: a whole-plant perspective. Australian Journal of Plant Physiology, v. 15, p. 63-92.

HANBA, Y. T.; KOGAMI, H.; TERASHIMA, I. 2002. The effect of growth irradiance on leaf anatomy and photosynthesis in Acer species differing in light demand. Plant, Cell and Environment, v. 25, p. 1021-1030.

ILLENSEER, R.; PAULILO, M. T. S. 2002. Crescimento e eficiência na utilização de nutrients em plantas jovens de Euterpe edulis Mart. sob dois níveis de irradiância, nitrogênio e fósforo. Acta Botanica Brasilica, v. 16, n.

, p. 385-394.

INOUE, M. T.; TORRES, D. V. 1980. Comportamento do crescimento de mudas de Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze. em dependência da intensidade luminosa. Revista Floresta, v.11, p. 7-11.

JACOBS, G. A. 1999. Evolução dos remanescentes florestais e áreas protegidas no estado do Paraná. Cadernos de Biodiversidade, v. 2, n. 1, p. 73-81.

JOHANSEN, D. A. 1940. Plant Microtechnique. New York: McGraw Hill Book.

JUSTO, C. F.; SOARES, A. M.; GAVILANES, M. L.; CASTRO, E. M. 2005. Plasticidade anatômica das folhas de Xylopia brasiliensis Sprengel (Annonaceae). Acta Botanica Brasilica, v. 19, n. 1, p. 111-123.

KAGEYAMA, P.; GANDOLFI, S. 2004. Conceitos, tendências e ações para a recuperação de florestas ciliares. In: RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. F. (Ed.). Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo: Editora da USP-FAPESP. p.235-247.

KAGEYAMA, P. Y.; OLIVEIRA, R. E.; MORAES, L. F. D.; ENGEL, V. L.; GANDARA, F. B. (Ed.). 2003. Restauração ecológica de ecossistemas naturais. Botucatu, FEPAF. 340p.

KERBAUY, G. B. 2004. Fisiologia Vegetal. São Paulo: Editora Guanabara Koogan. 472p.

KLICH, M. G. 2000. Leaf Variations in Elaeagnus angustifolia related to environmental heterogeneity. Environmental and Experimental Botany, v. 44, p. 171- 183.

KOLB, R. N.; MEDRI, M. E.; BIANCHINI, E.; PIMENTA, J. A.; GILONI, P. C.; CORREA, G. T. 1998. Anatomia ecológica de Sebastiania commersoniana (Baillon) Smith & Downs (Euphorbiaceae) submetida ao

alagamento. Revista Brasileira de Botânica, v. 21, n. 3, p. 261-267.

LARCHER, W. 2000. Ecofi siologia Vegetal. São Carlos: RiMa. 531p.

LIMA JR., E. C.; ALVARENGA, A. A.; CASTRO, E. M.; VIEIRA, C. V.; BARBOSA, J. P. R. A.D. 2006. Aspectos fisionatomicos de plantas jovens de Cupania vernalis Camb. submetidas a diferentes níveis de sombreamento. Revista Árvore, v. 30, n.1, p. 33-46.

LORENZI, H. 1992. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum. 352p.

MAACK, R. 1981. Geografia Física do Estado do Paraná. 2.ed. Curitiba: Ed. Olympio. 450p.

MACHADO, S. R.; CARMELLO-GUERREIRO, S. M. 2001. Estrutura e desenvolvimento de canais secretores em frutos de Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae). Acta Botanica Brasilica, v. 15, n. 2, p. 189-195.

MARQUES, A. R.; GARCIA, Q. S.; FERNANDES, G. W. 1999. Effects of sun and shade on leaf structure and sclerophylly of Sebastiana myrtilloides (Euphorbiaceae) from Serra do Cipó, Minas Gerais, Brazil. Boletim Botânico da Universidade São Paulo, v. 18, p. 21-27.

MEDRI, M. E.; DAVANSO, V. M.; SOUZA, L. A.; COLLI, S. 2003. Tabebuia avellanedae Lor. ex Griseb. (Bignoniaceae) submitted at the fl ooding and the ethrel and silver nitrate aplication. Brazilian Archives of Biology and Technology,v. 46, n. 1, p. 57-64.

MENDES, M. M.; GAZARINI, L. C.; RODRIGUES, M. L. 2001. Aclimatation of Myrtus communis to contrasting Mediterranean light environments – effects on structure and chemical composition of foliage and plant water

relations. Environmental and Experimental botany, v. 45, p. 165-178.

NAKAZONO, E. M.; COSTA, M. C.; FUTATSUGI, K.; PAULILO, M. T. S. 2001. Crescimento inicial de Euterpe edulis Mart. em diferentes regimes de luz. Revista Brasileira de Botânica, v. 24, n. 2, p.173-179.

NERY, F. C.; ALVARENGA, A. A.; JUSTO, C. F.; CASTRO, E. M.; SOUZA, G. S.; ALVES, E. 2007. Aspectos anatômicos de folhas de plantas jovens de Calophyllum brasiliense Cambess. submetidas a

diferentes níveis de sombreamento. Revista brasileira de Biociências, v. 5, n. 2, p. 129-131.

OLIVEIRA, F.; GROTTA, A. S. 1965. Contribuição ao estudo morfológico e anatômico de Schinus terebinthifolius Raddi, Anacardiaceae. Revista Farmácia Bioquímica, v. 3, n. 2, p. 271-293.

PIRES, O. C.; TAQUEMASA, A. V. C.; AKISUE, G.; OLIVEIRA, F.; ARAÚJO, C. E. P. 2004. Preliminary comparative analysis of the acute toxicity and median lethal dose (LD50) of the fruit of the Brazilian black

pepper (Schinus terebinthifolius Raddi) and black pepper (Piper nigrum L.). Acta Farmaceutica Bonaerense, v. 23, n. 2, p. 176-182.

POGGIANI, F.; SCHUMACHER, M. 2000. Ciclagem de nutrientes em fl orestas nativas. In: GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. (Ed.). Nutrição e Fertilização Florestal. Piracicaba: IPEF. p. 287-308.

QUEIRES, L. C.; FAUVEL-LAFETVE, F.; TERRY, S.; TAILLE, A.; KOUYOUMDJIAN, J. C.; CHOPIN, D. K.; VACHEROT, F.; RODRIGUES, L. E.; CREPIN, M. 2006. Polyphenols purifi ed from the Brazilian aroeira

plant (Schinus terebinthifolius Raddi) induce apoptotic and autophagic cell death of DU145 cells. Anticancer Research, v. 26, n. 1A, p. 379-387.

REIS, A; BECHARA, F. C.; ESPÍNDOLA, M. B.; VIEIRA, N. K.; SOUZA, L. L. 2003. Restauração de áreas degradadas: a nucleação como base para incrementar os processos sucessionais. Natureza & Conservação, v. 1,

n. 1 , p. 28-36.

ROÇAS, G., BARROS, C. F.; SCARANO, F. R. 1997. Leaf anatomy plasticity of Alchornea triplinervia (Euphorbiaceae) under distinct light regimes in a Brazilian montane Atlantic rain forest. Trees, v. 11, p. 469-473.

RODRIGUES, R. R.; GANDOLFI, S. 1998. Restauração de florestas tropicais: subsídios para uma definição metodológica e indicadores de avaliação e monitoramento. In: DIAS, L.E.; MELLO, J. W. V. (Ed.). Recuperação de áreas degradadas. Viçosa: UFV. 251p.

______. 2004. Conceitos, tendências e ações para a recuperação de fl orestas ciliares. In: RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. F. (Ed.). Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo: Editora da USPFAPESP. p. 235-247.

SCALON, S. P. Q.; SCALON FILHO, H.; RIGONI, M. R.; VERALDO, F. 2001. Germinação e crescimento de mudas de Pitangueira (Eugenia unifl ora L.) sob condições de sombreamento. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 23, n. 3, p. 652-655.

SCALON, S. P. Q.; MUSSURY, R. M.; RIGONI, M. R.; SCALON FILHO, H. 2003. Crescimento inicial de mudas de Bombacopsis glabra (Pasq.) A. Robyns sob condição de sombreamento. Revista Árvore, v. 27, n. 6, p. 753-758.

SCALON, S. P. Q.; MUSSURY, R. M.; SCALON FILHO, H.; FRANCELINO, C. S. F. 2006. Desenvolvimento de mudas de aroeira (Schinus terebinthifolius) e sombrero (Clitoria fairchildiana) sob condições de sombreamento. Revista Ciência e Agrotecnologia, v. 30, n. 1, p. 166-169.

SOUZA, E. N.; PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. 2000. Comportamento de germinação de sementes de aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi) sob diferentes condições de luz e temperatura. In: CONGRESSO E EXPOSIÇÃO NACIONAL SOBRE FLORESTAS, 6, 2000, Porto Seguro. Resumos técnicos. Rio de Janeiro, p. 69.

SOCIEDADE DE PESQUISA DA VIDA SELVAGEM E EDUCAÇÃO AMBIENTAL (SPVS). 1996. Manual para recuperação da reserva fl orestal legal. Curitiba: FNMA. 84 p.

STEINGRAEBER, D. A. 1982. Phenotypic plasticity of branching pattern in sugar maple (Acer saccharum). American Journal of Botany, v. 69, p. 638-640.

SULTAN, S. E. 2003. Phenotypic plasticity in plants: a case study in ecological development. Evolution & Development, v. 5, n.1, p. 25-33.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. 2004. Fisiologia Vegetal. 3 ed. Porto Alegre: Artmed. 820 p.

VALLADARES, F.; ALLEN, M. T.; PEARCY, R. W. 1997. Photosynthetic responses to dynamic Light under field conditions in six tropical rainforest shrubs occurring along a light gradient. Oecologia, v. 111, p. 505-514.

VELOSO, H. P.; RANGEL FILHO, A. L. R.; LIMA, J. C. A. 1991. Classifi cação da Vegetação Brasileira, adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro, IBGE. 124p.

VOGELMANN, T. C.; NISHIO, J. N.; SMITH, W. K. 1996. Leaves and light capture: light propagation and gradients of carbon fi xation within leaves. Trends in Plant Science, v. 1, n. 2, p. 65-70.

WILSON, P. J., THOMPSON, K.; HODGSON, J. G. 1999. Specifi c leaf area and leaf dry matter content as alternative predictors of plant strategies. New Phytology, v.143, p. 155-162.

WITKOWSKI, E. T. F.; LAMONT, B. B. 1991. Leaf specific mass confounds leaf density and thickness. Oecologia, v. 88, p. 486-493.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2446-8231

Indexadores: Aquatic Sciences and Fisheries Abstract (ASFA) | Biological Abstract | Biosis Previews | Google Acadêmico | Latindex | Qualis-CAPES | Scopus | Web of Science – Institute for Scientific Information (ISI)