Trocas gasosas e produtividade de tomateiro com diferentes hastes por planta

Graciela Maiara Dalastra, Márcia de Moraes Echer, Vandeir Francisco Guimarães, Tauane Santos Brito, Adriano Mitio Inagaki

Resumo


Objetivou-se avaliar o efeito do número de hastes por planta nos índices de trocas gasosas, na produtividade e na precocidade de colheita de cultivares de tomateiro segmento italiano. Utilizou-se o delineamento blocos casualizados em esquema fatorial 2 x 5, com quatro repetições. O primeiro fator constitui-se de duas cultivares de tomate tipo Italiano (Giuliana e Tyna) e o segundo, pelo número de hastes por plantas. Aos 78 dias, avaliou-se as trocas gasosas e características de produção das cultivares. Entre as cultivares de tomate não houve diferença para os índices de trocas gasosas, no entanto a cultivar Giuliana foi mais produtiva. Com relação aos tipos de condução, os maiores valores da taxa de assimilação líquida de CO2 foi observado para o tipo de condução 3, porém não resultou em diferenças significativas na produtividade. A retirada da haste principal retarda o ciclo da cultura.


Palavras-chave


Assimilação CO2 , Hastes, Solanum lycopersicum.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21826/2446-82312020v75e2020020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2446-8231

Indexadores: Aquatic Sciences and Fisheries Abstract (ASFA) | Biological Abstract | Biosis Previews | Google Acadêmico | Latindex | Qualis-CAPES | Scopus | Web of Science – Institute for Scientific Information (ISI)